Menu

/
História

Santuário

História

Nos anos 50, a região de Campo Grande crescia e passou a receber novos habitantes em busca de emprego e melhores condições de vida. Nessa época, Padre Ambrósio da congregação dos Passionistas, que era da Paróquia Santa Maria Goretti, em Jardim América – Cariacica, começou a visitar essa região e observou a necessidade de um lugar em que as pessoas pudessem se reunir para a oração comunitária e realização de Missa e Celebrações. Segundo Dona Odete Barbosa, uma das precursoras da comunidade, na ocasião, reuniam-se embaixo de árvores, por não ter um local próprio. O primeiro movimento formal da nova comunidade foi o Apostolado da Oração da Legião de Maria, antes mesmo da criação da Paróquia, em 10 de maio de 1959. Antes disso, em 02 de novembro de 1952, iniciou-se a construção da pequena capela dedicada ao Divino Espírito Santo, tendo sua conclusão em 06 de março de 1956, sendo a primeira igreja católica da região de Campo Grande.

O terreno reservado pelo empreendedor Expedito Garcia, dono da Imobiliária Itacibá, que foi o responsável pelo loteamento do Campo Grande. Oito anos após a inauguração da capela, ela já estava pequena para a quantidade de fiéis que a frequentavam e um novo projeto foi feito para a construção de um templo maior. Em março de 1964, iniciaram as obras de fundação para a construção de uma nova igreja, porém, as obras foram embargadas pelo arcebispo da época, Dom João Batista, sob a alegação de que o projeto era suntuoso e arrojado demais. Mesmo descontentes, os moradores encomendaram um novo projeto ao Dr. Paulo Mota, que resultou na matriz dedicada ao novo padroeiro, Bom Pastor, escolha feita pelos moradores em plebiscito e aceita pelo arcebispo. Em 12 de setembro 1965, aconteceu a primeira missa celebrada por padre José Carlos Barbosa, que conclui a obra antes de deixar a comunidade, em 1969. Nessa época, houve a instalação do Concílio Vaticano II, e a partir disso, a Arquidiocese de Vitória teve sua renovação com a criação das Comunidades Eclesiais de Base (CEB’s), o que trouxe grande impulso para a Paróquia do Bom Pastor, recém-criada. As comunidades se espalharam pelos bairros vizinhos criados pelos novos habitantes do entorno de Campo Grande.

Vendo o empenho e crescimento dessa comunidade em 08 de abril de 1967, Dom João Batista da Mota e Albuquerque autorizou em definitivo o decreto de criação da nova paróquia, atendendo a população que havia eleito o Bom Pastor como padroeiro. Esse decreto foi assinado por Monsenhor Romulo Neves Balestrero, que à época era Vigário Geral da Arquidiocese. A paróquia chegou a ter 35 comunidades na data de sua criação. Após Padre Ambrósio Marafiota, que trabalhou durante o início da organização, primeiro da capela do Divino Espírito Santo, e depois da Paróquia do Bom Pastor, o primeiro pároco foi Padre José Carlos Barbosa, que tomou posse em 09 de agosto 1967, ficando até o ano seguinte. Já em 1969, assumiu Padre Rubens Duque, e ficou até 1975, ano em que Monsenhor Rômulo Neves Ballestrero se tornou pároco, em 15 de fevereiro. Ele ficou nessa paróquia por 30 anos, até sua morte. 

Compartilhar: